"Mineiridade e mineralidade conduzem a ação criadora de Sérgio Marzano. O artista palmilha o quadrilátero ferrífero, tateia a superfície rugosa e áspera do campo mineral, perlustra a cena larga em que se expande o espetáculo da cor.O pintor Sérgio Marzano realiza a aspiração do poeta Murilo Mendes, que escreveu: 'Um dia voltarei para saudar o reino mineral, onde a desordem é mínima'."
- Angelo Oswaldo de Araújo Santos

"(...) São considerados destaques da nova geração, Sérgio Marzano exibe objetos de parede, esculturas e pinturas-objetos-relevos. Conjuga alumínio, ferro, vidro, água e acrílica. Além disso, usa e abusa dos pigmentos naturais e minerais, passando pelo pó de telha, de ferro e até de mármore."
- Hoje em Dia - BH/Nov/2000

"Marzano retrata as montanhas de Minas sem pintá-las, trituradas até ao pó elas voltam a ser solo que se avolumam em luz e sombra. Através de sua obra, Sérgio Marzano coloca-se no mundo como herdeiro deste solo mineral, reverenciando sua origem e destino traçando uma trajetória plena de significado cuja linguagem é tirada das pedras."
- Cássia Duarte

Sou da mesma substância desta terra:
minério, poeira vermelha, pedra,
morro.
Sou pó.

Processo Criativo

Sergio Marzano cria suas telas com minerais que representam a riqueza de Minas Gerais. O artista busca sua matéria-prima em localidades como Itabirito, Rio Acima, Ouro Preto e Lavras Novas.

Após a seleção, alguns materiais são triturados em um pilão e peneirados em um processo artesanal. Além da madeira, tecido e chapa utilizados como suporte, a tinta acrílica e a oxidação definem a concepção de suas obras. Os minerais revelam os encantos da terra e o testemunho da natureza pelo artista

Sérgio Marzano nasceu em Conselheiro Lafaiete/MG. Graduado em Administração de Empresas pela Fumec, descobriu seu apreço pelas artes durante um estágio em uma fábrica de alumínio. Autodidata, cursou Pintura e Escultura na Escola Guignard. Atualmente reside e trabalha em Belo Horizonte.